setembro 2008


Todos nós sabemos que o Brasil tem um sério problema quando o assunto é reciclagem de lixo. De todo o tipo de detrito produzido pela população, nem 5% chega a ser reciclado. Um verdadeiro desperdício de energia e de dinheiro. A maioria das cidades limitam-se a um sistema precário de coleta seletiva, em que o lixo é separado de acordo com o material do qual é feito.

Um desses materiais que pode ser facilmente reciclado é o vidro. Facilmente, digo, quando se tem uma estrutura suficientemente adequada para pôr em prática tal processo. Não é preciso que você monte uma pequena fornalha ou compre um triturador e comece a reciclar suas garrafas usadas e copos quebrados. Mas se você se interessou pelo tema, não pode perder a Oficina de Vidro, que a artista plástica Debora Muszkat promove no Centro da Cultura Judaica, dia 06 de outubro às 15:00.

Por meio de diversas técnicas de arte vidreira, o participante aprende um pouco do processo artístico a qual o vidro pode ser submetido. Além disso, a oficina pretende abrir os olhos das pessoas para o conceito do útil: às vezes, o que vemos de valioso em algo, não passa de mero desejo de consumo.

SERVIÇO:

Oficina do Vidro
Onde: R. Oscar Freire, 2500, Pinheiros,tel: 3065-4333.
Quando: dia 06/10 às 15:00. Vagas limitadas.

O CCJ incentiva seus frequentadores a doar um quilo de alimento não perecível ou um livro em bom estado.

À partir do dia 1º de outubro até o dia 29, às quartas-feiras da Galeria Olido receberam um toque oriental. O multiinstrumentista Curumim apresenta seu novo trabalho no qual mistura seus antepassados, a raiz africana, com a música eletrônica moderna. O artista faz uso da tecnologia do século 21, somada a instrumentos tradicionais de percussão para criar uma nova música.

As apresentações, à principio, tem início as sete horas, mas o horário pode ser alterado sem aviso prévio, por isso, vale a pena ligar antes de sair de casa. O telefone para maiores informações é 3334 0001.

A Galeria Olido fica na

Rua São João, 437 – Centro

Esse é o Antídoto Seminário Internacional de Ações Culturais em Zonas de Conflitopara combater a violência, seja em zonas devassadas pela guerra, seja em conflitos urbanos ou rurais.

Realizado desde 2006 pelo Itaú Cultural e AfroReggae, o evento sediará neste ano a Comemoração dos 60 anos da Declaração Universal dos Direito Humanos e contará com a presença de pensadores e atores sociais do Brasil, de Burkina Fasso, da República Democrática do Congo, de El Salvador e da Índia. Além do seminário, o público terá uma programação repleta de 02 a 23 de outubro, desde mostra de documentários, peça de teatro, shows a lançamento de livro.

A programação completa pode ser conferida, clicando aqui.

Local: Itaú Cultural
Avenida Paulista, 149 – pertinho do metrô Brigadeiro
(11) 2168-1777

E só sobrou um “falcão” (nome dado aos que têm a função de vigiar a favela e avisar os traficantes quando a polícia ou qualquer outro “inimigo” se aproximar) durante os sete anos que o rapper carioca MV Bill e seu empresário, Celso Athayde produziram “Falcão – Meninos do Tráfico“.

Este documentário mostra o depoimento de crianças e adolescentes de várias favelas do Brasil, envolvidos no tráfico de drogas. Teve bastante visibilidade quando foi transmitido no programa Fantástico, da Rede Globo, em março de 2006.

Quem não viu ou quer ver inteiro, mais do que os 58 minutos que foram exibidos no programa global, terá a oportunidade nessa quinta-feira, dia 02 de outubro às 17hs no Itaú Cultural.

E mesmo se você já viu, vale a pena ir e participar de um debate após o filme com um dos produtores, Anderson Quak e a fundadora do Central Única das Favelas (Cufa) Nega Gizza, sobre os bastidores e a produção do documentário.

Local: Avenida Paulista, 149 – pertinho do metrô Brigadeiro
(11)2168-1777
ENTRADA GRATUITA
(247 lugares)

Responsa rápido: qual era a cor do cavalo branco de Napoleão?

Respondeu “branco“? Se sim, você está errado. Na verdade, o certo seria “todas”. Explico: acontece que, tecnicamente, a cor branca nada mais é do que união de todas as outras cores do espectro do arco-íris, que por sua vez só são visíveis a nossos olhos quando um prisma, natural ou artificial, refrata a luz branca. Nessa linha de raciocínio, o preto apresenta-se não como uma cor, mas como sua ausência.

O poder do branco - nem o OMO faz igual

O poder do branco - nem o OMO faz igual

Pois bem, é justamente essa a inspiração do artista plástico Michel Sallouti: o branco. Na próxima quinta-feira, dia 02/10, ele abre na Galeria Oeste sua primeira exposição, intitulada “Da Cor Branca“. Ao todo, são 25 trabalhos que mostram o branco em todas as suas tonalidades. à primeira vista todas as peças parecem ser similares, tanto na técnica quanto em relação à textura.

SERVIÇO:
Da Cor Branca
Onde: R. Mateus Grou, 618, Pinheiros, tel: 3815-9889,
Quando: A partir de 02/10 até 18/10. De segunda a sexta das 11:00 ás 19:00. Sábados, das 10:00 às 15:00.

Mapa da Áustria

Mapa da Áustria

Bandeira da Áustria

Se você se animou pensando que era uma agência de turismo fazendo uma promoção especial, pare de viajar e volte pra realidade. É mais do que isso, é a MOSTRA ÁUSTRIA 2008 que acontecerá nos dias 30/09 a 04/10 no Centro Cultural São Paulo e exibirá ao todo 6 longas, 4 documentários e 2 debates, apresentando um panorama do cinema austríaco contemporâneo e sua relação com o holocausto. Vários filmes dessa Mostra merecem destaque, por isso cada um terá um post especial abaixo.

Cartaz do filme

Cartaz do filme

“A gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte.”

Você terá tudo isso no documentário de maior público da história do cinema austríaco: “Nós alimentamos o mundo” que será exibido quarta-feira agora, dia 1 de outubro às 18hs no Centro Cultural São Paulo, e discute a indústria alimentícia e seu desperdício, entrevistando desde pescadores, pequenos fazendeiros, sociólogo suíço e até o presidente da Nestlé, que dá uma declaração extremamente polêmica que te deixará com um embrulho no estômago.

Local: Rua Vergueiro, 1000, Paraíso
Telefone: 3383-3402.
Retirar ingressos uma hora antes de cada sessão
Sala Lima Barreto (110 lugares) – entrada franca

Próxima Página »