Quem freqüenta o blog há algum tempo, já deve ter reparado que o Tudo Por Nada já falou de eventos relacionados a culturas de todo o mundo. Já comentamos de exposição indígena, de mostra de cinema árabe, italiana, peça sobre o judaísmo, enfim.

Só que até agora a gente não tinha falado nada sobre a cultura africana, que, aliás, é a raiz de vários de nossos aspectos culturais (seja na dança, na língua, na culinária, na música, no jeito de ser). Mas agora os seus problemas acabaram. Não perca a exposição Bijagós – A Arte dos Povos da Guiné Bissau, aberta ao público até o dia 19 de novembro no Museu Afro Brasil, localizado no Parque do Ibirapuera. Com curadoria de Emanoel Araújo, a mostra traz 78 peças produzidas pelos Bijagós, habitantes das ilhas da costa de Guiné Bissau, na África, e usadas e rituais e festas.

As obras produzidas pelos Bijagós têm o reconhecimento crítico internacional pelas qualidades e particularidades em suas obras de escultura. Os povos bijagós foram descobertos pelos portugueses entre os séculos 15 e 16. Independente de Portugal desde 1973, após violentos conflitos, a República de Guiné-Bissau é hoje um país pobre, que depende da ajuda internacional.

Foto do usuário do Flickr "ARTExplorer"

Há estudiosos que se referem aos bijagós como “escultores do espírito” pelo grande domínio técnico, artístico e religioso demonstrado em objetos sagrados ou receptáculos conhecidos como “irãs”. Eles acreditam que, depois da morte, a alma vagueia na selva até assentar-se em uma escultura, também chamada de “espaço estável”.

SERVIÇO:

Bijagós – A Arte dos Povos da Guiné Bissau
Onde: Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, portão 10, tel: 5579-0593.
Quando: De terça a domingo, das 10:00 às 17:00 (permanência até as 18:00).