Imagine-se na seguinte cena: uma noite calma, serena, aconchegante e muita boemia. Aposto que você deve estar pensando “qual será o bar recém-inagurado?” Mas, definitivamente,  isso não é um convite para algum barzinho ou botequim de esquina.

carros1

Pelo contrário. É um convite para vislumbrar ilustrações como de cantores de jazz e blues obscuros, mulheres bonitas, carros antigos em estradas desertas, cantos e esquinas  de São Paulo  com um toque de melancolia em seues traços de  caneta esferográfica, naquim, ecoline e materias que fogem do padrão, como água sanitária e vinho.

A idéia da exposição, como seu título mesmo já diz “Noturno” é fazer referência ao clima noir que o artista tenta transmitir em suas obras, além claro de serem desenhados sempre durante a madrugada.

A exposição contou com a banda Fábrica de Animais, da atriz e diretora Fernanda D’Umbra (do seriado “Mothern”, da GNT),  que fez  um pocket show durante a reabertura

Carlos Carah, o autor das obras e responsável pela exposiçao já fez capas de trabalhos do dramaturgo Mário Bortolotto, como “Atire no Dramaturgo”, e da revista “Coyote”. O evento abrange  um retrato do ator cult Paulo César Pereio.

Serviço:

Coletivo Galeria – Rua dos Pinheiros, 493, Pinheiros, região oeste, São Paulo, SP. Tel.: 0/xx/11/3596-3247. Até 20/2. Ter. a sex.: 15h às 20h. Sáb.: 12h às 19h.Livre.

 

Obra de Walter Nomura

Anteontem foi o último dia para visitar a exposição Trimassa, que rolou na Choque Cultural. Mas se você acha que a sua cota de arte urbana acabou, você está geometricamente enganado.

Particularmente, eu aprecio muito a chamada street art (navegue pelos hiperlinks e se divirta). Desde quando eu ajudei uma amiga minha no seu trabalho de conclusão de curso, em que ela precisava editar uma revista sobre grafite, comecei a entender melhor o espírito da coisa e acabar com certas visões pré-definidas.

Bom, indo direto para o que interessa, desde o dia 27 de outubro, a Galeria Bergamin recebe a exposição Contra O Verso, que reúne obras de oito artistas brasileiros e com curadoria de Carmo Marchetti. São apresentados diversos trabalhos entre pintura, desenho, escultura, colagem e fotografia, além de intervenções feitas diretamente no espaço da galeria.

Obra de Herbert Baglione

Obra de Herbert Baglione

Os artistas Bruno Novelli, Flavio Samelo, Felipe Yung, Herbert Baglione, Francisco Rodrigues da Silva, Alex Hornest, Alexandre Cruz e Walter Nomura, com estratégias e propostas diferentes, trazem para a exposição o resultado do processo de transferência do trabalho de cada um para o espaço expositivo da galeria, assumindo assim uma nova dinâmica de relações com o público de arte contemporânea. Guardam referências contextuais e estéticas dos movimentos ligados à contracultura: o grafitti, o punk, o hip-hop, o skate urbano, fanzines, stickers, lambe-lambe e pichação.

Contra O Verso da arte conceitual, caminha em direção ao minimalismo reducionista. Valida a arte do feito à mão. Resgata o desenho, a pintura, a escultura, a colagem a fotografia. A superfície da obra assume papel relevante. A imagem é o fio condutor de idéias. No suporte, a relação do artista torna-se física e gestual. A narrativa é resposta às reflexões pertinentes às dialéticas urbanas.

Obra de Flávio Samelo

Obra de Flávio Samelo

Fotos e parte do texto: Balady Comunicação.

SERVIÇO:

Contra o Verso
Onde: R. Rio Preto, 63. Jardim Paulista, tel: 3062-233.
Quando: De segunda a sexta-feira, das 11:00 às 19:00. Sábados, das 11:00 às 15:00. Até 29/11.

Não sei se vocês se lembram, mas há pouco tempo eu falei de uma série de oficinas de desenho e, inclusive, postei uma tirinha em quadrinhos que eu fiz muito tempo atrás para ilustrar o post. Não que eu me considere o próximo Maurício de Souza ou Bill Waterson, mas aquela era uma das minhas “obras” favoritas.

Mande-nos também a sua tirinha, desenho ou HQ!

Mande-nos também a sua tirinha, desenho ou HQ!

Bom, dessa vez eu falo de uma outra oficina, porém dedicada exclusivamente à arte das tiras em quadrinhos. O evento é coordenado pela Associação dos Quadrinistas e Caricaturas do Estado de São Paulo e acontece na Biblioteca Infanto-Juvenil Monteiro Lobato no próximo dia 18. Após breve introdução teórica relacionada às HQs, os participantes serão incentivados a criar seus próprios trabalhos. O material utilizado na atividade será fornecido gratuitamente.

É preciso ligara para saber se ainda há vagas. A oficina é recomendada para crianças e jovens partir de 10 anos de idade.

SERVIÇO:

Tirinhas em Quadrinho
Onde: R. General Jardim, 485, Vila Buarque, tel: 3256-4122.
Quando: Sábado, dia 18/10, às 14:00.

Você sabe por que o cinema é considerado a sétima arte? Bom, porque há outras seis antes dele. O cinema, aliás, é a arte mais recente de todas. Criado no finalzinho do século XIX pelos irmãos Lumière, foi alçado a tal condição, sendo a única das sete artes não criadas na Antiguidade.

hanuman geomerico eletrico de Pingarilho
“hanuman geomerico eletrico”, de Pingarilho

Mas hoje em dia é tão difícil definir um número exato de tipos de arte, tão complexas são as derivações das primeiras sete, que ouso dizer que qualquer manifestação humana, aliada a um pouco de criatividade, pode ser tida como arte.

Blogar é uma arte, por que não? Jogar Tetris também. O esporte é uma arte. Pelé é arte. Guerra é arte. Plantar melancias é uma arte. Melancias são grandes e gostosas artes.

Enfim, todo esse preâmbulo justifica-se. Os grandes centros urbanos produzem sua própria arte, achada apenas nesses locais. Às vezes – muitas vezes – são manifestações ou intervenções artísticas (como as pichações ou os stickers) que não têm a mesma durabilidade de uma obra tradicional. São efêmeras como as cidades.

E é justamente de arte urbana que trata a exposição Trimassa, aberta ao público na Galeria Choque Cultural até o dia 30. A Choque mostra a arte pop urbana de Porto Alegre através dos seus mais ilustres representantes. Artistas vindos do graffiti, tatuagem, comics e ilustração. A maioria desses talentos já foi mostrada na galeria e tem como característica comum o refinamento. Não se trata de uma “escola” ou “movimento” artístico, mas todos os artistas em questão trocam bastante figurinha e deixam-se influenciar mutuamente. O conjunto é muito impactante e forte.

SERVIÇO:

Trimassa
Onde: R. João Moura, 997, Pinheiros, tel: 3061-4051.
Quando: De segunda a sábado, do 12:00 às 19:00. Até 30/10.

Você tem o costume de andar de Metrô? Se sim, é bem capaz de você já ter visto alguma exposição ou manifestação artística pelas estações. Desde os anos de 1970, o Metrô paulistano iniciou um movimento de divulgação da arte e da cultura como elas devem ser: gratuitas e acessíveis para todos. Soa-lhe familiar?

Por isso mesmo que o Tudo Por Nada não poderia deixar de divulgar os dois processos de divulgação artístico-cultural que o Metrô mantém. O primeiro é o projeto Arte no Metrô, em que 86 obras de arte (entre quadros, esculturas, instalações, murais, etc.) pertencentes ao acervo da instituição são exibidas em 31 estações.

Roteiro artistico do Metrô. Clique para ampliar.

Roteiro artístico do Metrô. Clique para ampliar.

Além dele, há o Programa Ação Cultural, em que artistas, desconhecidos ou não, podem divulgar seu trabalho em caráter temporário em algumas das estações do Metrô. Se você é artista e tem interesse em exibir suas obras, veja o regulamente do programa, clicando aqui.

Obra de José, Homem Justo

Obra de "José, Homem Justo"

Se você é apenas um apreciador da arte, não perca as dicas que o TPN guardou para você. Uma delas é Simplesmente José, Homem Justo, Homem Fiel, Pai de Jesus. A exposição traz imagens de “José, o Carpinteiro”, personagem bíblico de grande importância, por ter sido pai terreno de Jesus. Foi proclamado Padroeiro da Igreja Católica e dos Trabalhadores, especialmente dos carpinteiros e dos marceneiros.

Outra boa dica é Os Cientistas Em Quadrinhos. Série de quadrinhos assinada pelo cartunista João Garcia (Jão), que aborda temas científicos e seus reflexos cotidianos, com muito humor e criatividade.

Para ver a programação completa de outubro, clique aqui.

SERVIÇO:

Ação Cultural no Metrô
Onde: Diversas estações do Metrô
Quando: de 10/10 a 31/10, no horário de funcionamento das estações.

Para muitos, sou um artista incompreendido

Para muitos, sou um artista incompreendido

Está vendo a aberração o desenho acima? Pois fui eu quem fez. Apesar de resultados um tanto quanto inovadores, desenhar sempre foi um de meus passa-tempos. Nesse momento você deve estar dando graças a Deus por eu ter seguido o caminho do Jornalismo, caso contrário, não haveria meios de eu sobreviver.

Mas se você, assim como eu, também curte desenhar ou pretende seguir certas tendências artísticas, há três dicas superbacanas de oficinas para você. Todas elas ocorrerão no Centro Cultural São Paulo (CCSP) e sempre uma vez por semana.

A primeira é a o Oficina de Desenho – Construção e Reflexão. Com orientação de Adalgisa Campos, consiste de atividades práticas que colocam o participante em contato com diversas possibilidades do desenho como meio de construção e reflexão.

A segunda dica fica por conta da Oficina de Animação, na qual o participante aprenderá noções básicas da técnica de animação stop motion, em que fotografias de objetos são projetadas em seqüência, produzindo uma ilusão de movimento. Um vídeo será produzido com elaboração de roteiro, produção de personagens, cenário, iluminação, som e fotografia.

Por fim, recomendo a Oficina Desenhando São Paulo, cujo objetivo é desenvolver no participante o hábito da observação e da habilidade seletiva do olhar. Serão propostos percursos no prédio do CCSP e arredores, incentivando a observação do espaço, de seu uso e de seus ocupantes.

SERVIÇO:

Oficina de Desenho – Construção e Reflexão
Onde: R. Vergueiro, 100, Paraíso, tel: 3383-3436, Espaço Oficinas,
Quando: De 15/10 a 3/12, todas as quartas-feiras, das 14:00 às 17:00. Inscrições até 10/10, das 10:00 às 17:00, pessoalmente e por ordem de chegada. Total de 30 vagas. A partir de 14 anos.

Oficina de Animação
Onde: R. Vergueiro, 100, Paraíso, tel: 3383-3436, Sala de Debates (dias 17, 24 e 31/10) e Sala de Oficinas (de 7/11 a 5/15).
Quando: De 17/10 a 5/12, todas as sextas-feiras, das 14:00 às 17:00. Inscrições até 10/10, das 10:00 às 17:00, pessoalmente e por ordem de chegada. Total de 25 vagas. A partir de 14 anos.

Oficina Desenhando São Paulo
Onde: R. Vergueiro, 100, Paraíso, tel: 3383-3436, Piso Flávio de Carvalho (Sala Zero).
Quando: De 14/10 a 2/12, todas as terças-feiras, das 14:00 às 17:00. Inscrições até 10/10, das 10:00 às 17:00, pessoalmente e por ordem de chegada. Total de 30 vagas. A partir de 14 anos.

Existem diversas coisas que marcam época na vida de cada um. Pode ser um filme, uma música, um ex-namorado, um brinquedo, enfim… No meu caso foram os gibis da Turma da Mônica. Quando mais criança, colecionava vários, a ponto de acumular centenas deles num canto do meu quarto. Esse mundo mágico que Maurício de Souza criava com espantosa criatividade sempre despertou em mim a vontade de aprender a desenhar. Os anos passaram e hoje em dia meus desenhos são confundidos com os de crianças de cinco anos. Nunca fiz um curso de desenho por vários motivos: por falta de tempo, por preguiça e até mesmo por reconhecer que, menos do que paixão, eu tenho na verdade admiração por essa arte. Mas se você curte histórias em quadrinhos e tem vontade de seguir carreira nessa área, corra para o SESI Vila Leopoldina. A partir de segunda-feira, 15, o desenhista Eloar Guazzelli Filho ensinará os elementos básicos para quem pretende seguir carreira na área. Serão onze aulas ao todo, com duração de três horas cada uma. São 20 vagas, sendo que há apenas cinco ainda disponíveis. As inscrições podem ser feitas por telefone ou pessoalmente.

SERVIÇO:

Formação Básica em Desenho
Onde: R. Carlos Weber, 835, Vila Leopoldina, tel: 3834-5523.
Quando: de 15/09 até 26/09, das 18:30 às 21:30.