Já faz tempo que o Tudo Por Nada não comenta sobre algum dos três grandes eventos gratuitos que rolam na cidade de São Paulo: Este Mundo É Meu! E As Sete Sementes…, Festival CCJ Independente e Antídoto. Mas isso não quer dizer que eles já terminaram – muito pelo contrário. Os dois primeiros vão até o dia 31 e o Antídoto até a próxima quinta-feira, dia 23. Dessa vez eu vou falar sobre algumas boas dicas o do Este Mundo e do Antídoto. Sobre o CCJ Independente eu irei falar nos próximos dias. Não perca!

ESTE MUNDO É MEU!

Viva ao verde

O que significam as árvores para as populações urbanas? Como é visto o verde em ambientes urbanos e industrializados? Como os indivíduos e o coletivo das cidades interagem com o ecossistema urbano? Racionalidade, espiritualidade e sensibilização das comunidades urbanas e rurais serão discutidas no Fórum de Reflexões – Áreas Verdes, Comunidades e Conservação. Dia 21/10, das 19:30 às 22:00 no Centro Cultural São Paulo.

A Educação Ambiental têm se colocado como um importante instrumento para a compreensão e a conscientização sobre questões ambientais, no exercício da cidadania e na busca de transformação da realidade socioambiental. O debate do Fórum de Reflexões – Comunicação e Participação Ambiental explicitará princípios e práticas da Educação Ambiental em ambientes diversos como Escolas, Comunidades e Meios de Comunicação, na busca da melhoria da qualidade de vida. Dia 21/10, das 19:30 às 22:00 no Centro Cultural São Paulo.

+ DE ESTE MUNDO

ANTÍDOTO

Viva ao mundo

No dia 21/10, das 17:00 ás 19:00, acontece no Itaú Cultural o debate Facções e Fronteiras Invisíveis. Apesar do tom pejorativo que costuma acompanhar o termo, facção é simplesmente um conjunto de pessoas que pensam e agem de maneira diferente da maioria. Esta mesa discute as relações entre as facções e as fronteiras invisíveis da sociedade, como o preconceito e a intolerância.

Já no debate Produções Culturais, os palestrantes falarão das experiências, dos conceitos, dos problemas e das vitórias envolvidos no desenvolvimento de projetos culturais em países africanos como Burundi, Burkina Faso, República Democrática do Congo e Ruanda. Dia 22/10, das 17:00 às 19:00, no Itaú Cultural.

SERVIÇO:

Itaú Cultural
Av. Paulista, 149, tel: 2168-1777.

Centro Cultural São Paulo
R. Vergueiro, 1000, Paraíso, tel: 3383-3402.

isso pode ser cada vez menos comum em sua vida

Isso pode ser cada vez menos comum em sua vida

Pouco mais de 97% da água existente no planeta Terra é salgada e está em oceanos e mares. Sobram apenas 3%, de água doce, que podem ser consumidos pelo ser humano. No entanto, boa parte desse restante encontra-se em geleiras e no subsolo, o que dificulta ou impossibilita sua extração. Resultado: guerra pela água nas regiões em que ela é mais escassa.

Esses dados dão uma idéia da importância desse que é o mais importante recurso natural do planeta. Da água depende a sobrevivência de qualquer ser vivo. Por isso, é vital que sejamos cuidadosos na hora e utilizá-la.

Justamente como forma de conscientizar as pessoas sobre o assunto, haverá no próximo sábado, dia 18, no Centro Cultural São Paulo (CCSP), o evento Expedições Paulistas: Re-conhecendo a Guarapiranga – Identificando a Origem da Água. A proposta é apresentar de forma lúdica alguns desafios hídricos existentes na cidade e evidenciar algumas formas de economia de água a partir da barragem de Guarapiranga, passando pelo Córrego São José e pelas margens do Rio Pinheiros.

É necessário fazer inscrição para participar. São 40 vagas ao todo. O ônibus que levará os participantes sairá e retornará ao CSSP. É bom ligar antes para confirmar as vagas. Indicado para a família.

SERVIÇO:

Expedições Paulistas: Re-conhecendo a Guarapiranga – Identificando a Origem da Água
Onde: R. Vergueiro, 1000, Paraíso, tel: 3383-3402.
Quando: Dia 18/1, das 10:00 às 14:00.

+ de ESTE MUNDO

Imagine-se na seguinte situação: você precisa fazer uma viagem por motivos profissionais; viagem essa feita de avião. Porém, devido àqueles misteriosos motivos do destino, o avião cai e você, claro, é o único sobrevivente. Você precisa então se virar para sobreviver em uma ilha deserta até que a ajuda apareça.

É bem provável que você já tenha visto essa história em diversos filmes e seriados de televisão afora. Mas, convenhamos, apesar da baixa probabilidade, vez ou outra vemos no noticiário casos de pessoas que se perderam na mata ou em lugares inóspitos (aqui e aqui).

Como sobreviver no meio da natureza?

Como sobreviver no meio da natureza?

Pois bem, se você é uma pessoa precavida e leva a sério aquele ditado de que o velho morreu de seguro,  recomendo que não perca a palestra Expedições Rocha: Cadê o Itororó?, uma atividade lúdica e educacional, coordenada pelo Grupo Operações Especiais Resgate Rápido. O participante aprenderá noções de meio ambiente, de sobrevivência na selva e como apagar incêndios. Será ainda contada a história do rio Itororó.

A palestra ocorre no Centro Cultural São Paulo (CCSP) e faz parte do evento Este Mundo É Meu! E As Sete Sementes… É preciso inscrever-se antes de participar e em cada dia serão disponibilizadas 20 vagas para os interessados. Serão percorridos os espaços internos e externos do CCSP. A idade mínima é de oito anos.

SERVIÇO:

Expedições Rocha: Cadê o Itororó?
Onde: R. Vergueiro, 1000, Paraíso, tel: 3383-3402.
Quando: Dias 14, 21 e 25/10, das 10:30 às 13:00. Dia 18, das 13:00 às 17:00.

+ de ESTE MUNDO

Não, não vou falar da polêmica envolvendo a transposição do Rio São Francisco nem pedir para que você cite seus afluentes. O título desse post é tal como é, pois falo hoje de Chico Buarque, que não deixa de ser “velho Chico”. Velho, porque são anos e mais anos enriquecendo a música brasileira; e Chico, porque… bom, porque é Francisco, mesmo.

Sua música é universal. Chico é paratodos.

Sua música é universal. Chico é paratodos.

Não perca na próxima terça-feira, dia 14, a peça O Baú Do Seu Francisco, uma apresentação musical estrelada pela Cia. do Tijolo e inspirada em músicas de Chico Buarque e do repertório popular brasileiro. Quatro viajantes chegam de muito longe e seguem um mapa que indica a localização de um Baú do Tesouro que pertenceu a um tal Francisco Buarque de Holanda. Depois de encontrarem, descobrem que o tesouro escondido no fundo da arca é maior que o esperado. Livremente inspirado na obra de Chico Buarque de Holanda.A peça tem 50 minutos de duração e é recomendada para maiores de cinco anos, ou seja, um bom programa para a família.

Eu não sei se você curte Chico Buarque, mas eu adoro. Portanto, aí vai a minha música predileta dele (ou uma das). Basta clicar aqui. Se você não conhecia nenhuma música dele até agora, espero tê-lo ajudado a apreciar um som de bom nível. Para ver a discografia completa, entre nesse site.

SERVIÇO:

O Baú do Seu Francisco
Onde: R. Vergueiro, 1000, 3383-3402. Sala Adoniran Barbosa (300 lugares).
Quando: Terça-feira, dia 14, às 15:00.

+ de ESTE MUNDO

Como eu já disse na minha apresentação aqui no blog, eu me interesso bastante por tudo aquilo que envolve questões relacionadas ao meio ambiente. Inclusive, eu realizo uma pesquisa de iniciação científica no Mackenzie, cujo tema gira em torno do desenvolvimento sustentável (aqui e aqui).

meio ambiente é uma das grandes questões que movimenta politicos, acadêmicos e sociedade civil ao redo do mundo

TPN Ambiental: meio ambiente é uma das grandes questões que movimenta políticos, acadêmicos e sociedade civil ao redor do mundo

Por isso mesmo, eu fico mais do que feliz em divulgar um evento tão grandioso quanto o Este Mundo É Meu! E As Sete Sementes… Dessa vez, eu venho falar de dois fóruns que tratam do assunto e que acontecem no Centro Cultural São Paulo.

cada vez mais importante

Educação Ambiental: cada vez mais importante

O primeiro, educacional, apresenta projetos interdisciplinares de educação ambiental realizados em escolas, em parcerias com universidades e comunidades. Os projetos se constituem de relatos dos integrantes e propiciam a multiplicidade de visões que se articulam. Posteriormente, será aberta a participação do público em debate e troca de experiências.

O segundo, reflexivo, mostra como a arte ajuda no processo de conscientização ambiental, apresentando-se como auxiliar educativo. Em sociedades industrializadas, a multiplicidade e a intensidade de sons, imagens e aromas, aliadas ao frenético ritmo de vida das populações urbanas, conduzem cada vez mais a uma deficiência na percepção ambiental. Uma das formas de reverter essa situação pode ser realizada com a colaboração das artes, que apresentam grande potencial de sensibilização e percepção ambiental. Nessa mesa serão debatidas as diferentes percepções ambientais, especialmente a partir da ecologia acústica e da arte-educação.

SERVIÇO:

Fórum Educacional – Experimentações Ambientais: Projetos de Educação Ambiental
Onde: R. Vergueiro, 1.000, Paraíso, 3383-3402. Sala de Debates (70 lugares)
Quando: Terça-feira, dia 14, das 14:30 às 18:00.

Fórum de Reflexões – Integrações Socioambientais Na Cidade de São Paulo: Artes e Meio Ambiente
Onde: R. Vergueiro, 1.000, Paraíso, 3383-3402. Sala de Debates (70 lugares)
Quando: Terça-feira, dia 14, das 19:30 às 20:00.

+ de ESTE MUNDO

O famoso riacho paulista

O famoso riacho paulista

Hoje faz exatamente um mês que o país comemorou a data de sua independência. O Tudo Por Nada, inclusive, publicou um post sobre assunto. Eu digo isso para que vocês não achem que eu me perdi no tempo e estou a falar de coisas passadas. É que o post da vez, de certa forma, tem a ver com o nosso célebre 7 de setembro. Refiro-me ao evento Expedições Paulistas: Riacho do Ipiranga, que acontece nos dias 11 e 25 de outubro, como parte do projeto Este Mundo É Meu! E As 7 Sementes…

Na expedição, aos participantes percorrem o Riacho do Ipiranga, desde sua nascente no Jardim Botânico até o Parque da Independência, enfocando o significado histórico da região e questões sobre a conservação e recuperação de áreas verdes na cidade.

O evento destina-se a crianças e a adultos, que participam mediante inscrição. São 40 vagas ao todo. O ônibus que levará os participantes sairá e retornará ao Centro Cultural São Paulo pela entrada principal.

SERVIÇO:

Expedições Paulistas
Onde: R. Vergueiro, 1000, Paraíso, tel, 3383-3402 (40 vagas).
Quando: Dias 11 e 25/10, das 10:00 às 14:00.

+ de ESTE MUNDO

Primazia no estilo de escrever
Primazia no estilo de escrever

Pus o meu sonho num navio
e o navio em cima do mar;
– depois, abri o mar com as mãos,
para o meu sonho naufragar

Minhas mãos ainda estão molhadas
do azul das ondas entreabertas,
e a cor que escorre de meus dedos
colore as areias desertas.

O vento vem vindo de longe,
a noite se curva de frio;
debaixo da água vai morrendo
meu sonho, dentro de um navio…

Chorarei quanto for preciso,
para fazer com que o mar cresça,
e o meu navio chegue ao fundo
e o meu sonho desapareça.

Depois, tudo estará perfeito;
praia lisa, águas ordenadas,
meus olhos secos como pedras
e as minhas duas mãos quebradas.

O poema acima é de autoria de Cecília Meireles. Tê-lo postado aqui tem um motivo: a autora carioca sempre foi uma das minhas favoritas enquanto eu era criança, ou seja, até hoje. Seu estilo lúdico de escrever – e também assaz contundente, em textos adultos – continua a me encantar, numa reverência freqüente que faço a seu talento.

Por isso, não poderia perder a oportunidade de divulgar a apresentação musical Cecília Para Crianças, um show acústico composto por poemas de Cecília Meireles, que acontece nas duas próximas quintas-feiras no Centro Cultural São Paulo.

SERVIÇO:

Cecília Para Crianças
Onde: R. Vergueiro, 1000, Paraíso, tel: 3383-3402. Sala Adoniran Barbosa (631 lugares).
Quando: Dias 09 e 16/10, às 15:00.

+ de ESTE MUNDO