205 hospitais, 120 teatros e casas de shows, 80 museus, 39 centros culturais, 12.500 restaurantes, 5 mil pizzarias, 72 shopping centers, 15 mil bares e 410 hotéis. Assim é São Paulo: tudo isso.

A Avenida Paulista nos traços de Marcelo Senna

A maior cidade da América Latina está prestes a completar 455 anos de vida. Sua história se confunde com a do próprio país. A “locomotiva do Brasil” continua seguindo nos trilhos certos, apontando para um futuro de prosperidades.

Em homenagem a esse tão belo território (que também tem lá suas “feiúras”, é bom dizer ), a Caixa Cultural abri no dia 24, véspera do aniversário, a exposição “”São Paulo A Lápis“, que traz ao público 15 desenhos do artista plástico Marcelo Senna.

Sobre o branco do papel, Senna aplica da maneira mais detalhada e fiel possível o cinza do grafite; o cinza de São Paulo. Meticuloso, o artista faz questão de ressaltar em sua obra a riqueza de detalhes, fruto de incansáveis andanças pela cidade, nas quais exercita a observação a partir da busca do melhor ângulo para traduzir a cena em seus traços.

SERVIÇO:

São Paulo A Lápis
Onde: Praça da Sé, 11, tel: 3321-4000.
Quando: de terça a domingo, das 9:00 às 21:00 horas. Até 08/03.

bandeira da maior cidade do pais

bandeira da maior cidade do país

 

A cidade de São Paulo completa no próximo domingo, dia 25 de janeiro, 455 anos.

 

E será homenageada de diversas formas.

 

O Centro Cultural São Paulo traz uma programação bem especial que vale a pena copiar e colar do site para facilitar a visualização dos leitores do Tudo Por Nada.

 Paulistas por adoção
de 20 a 25/1

No contexto das comemorações do aniversário da Cidade de São Paulo, o ciclo apresenta filmes de diretores que, muito embora tenham nascido em outros Estados brasileiros, atuam e exercem o seu ofício em terras paulistas: foram cooptados por elas ou elas por eles.

dia 20/1 – terça

16h
Urbânia
(2001, cor, 70min – suporte DVD)
direção: Flávio Frederico (Rio de Janeiro) – elenco: Turíbio Ruiz, Adriano Stuart, Wilson Hintze, Jorge Oliveira Santos
Ficção e documentário no mesmo filme. Durante 24h, dois outsiders redescobrem a cidade de São Paulo a bordo de um carro conversível. A megalópolis se revela a partir de encontros casuais com seus habitantes.
18h
Criaturas que nasciam em segredo
(1995, cor, 21min – suporte DVD)
direção: Chico Teixeira (Rio de Janeiro)
Partindo do universo dos bufões, pessoas marcadas desde a Antigüidade pelo estigma de garantir a diversão dos outros, o documentário retrata a vida de cinco anões que moram na cidade de São Paulo.
A casa de Alice
(2007, cor, 90min – suporte 35mm)
direção: Chico Teixeira (Rio de Janeiro) – elenco: Carla Ribas, Berta Zemel, Zécarlos Machado, Vinicius Zinn
Alice mora na periferia de São Paulo, trabalha como manicure e divide a casa com sua mãe, o marido e três filhos. Depois de vinte anos de casamento, ela reencontra um ex-namorado e isso mudará o rumo de sua vida.
20h
O homem que virou suco
(1979, cor, 97min – suporte DVD)
direção: João Batista de Andrade (Ituiutaba/MG) – elenco: José Dumont, Célia Maracajá, Ruth Escobar, Denoy de Oliveira
Um poeta popular paraibano recém-chegado a São Paulo, onde tenta sobreviver com a venda de suas poesias, é confundido com um operário que mata o patrão e acaba sendo perseguido pela polícia.

dia 21/1 – quarta


16h
Bodas de papel
(2006, cor, 102min – suporte 35mm)
direção: André Sturm (Porto Alegre/RS) – elenco: Helena Ranaldi, Darío Grandinetti, Walmor Chagas, Cleide Yaconis, Antonio Petrin
Uma história de amor entre um homem e uma mulher que se encontram numa cidade que escapou de ser transformada numa usina hidrelétrica e de desaparecer sob as águas.
18h
Jardim Ângela
(2007, cor, 71min – suporte 35mm)
direção: Evaldo Mocarzel (Niterói/RJ)
A visão de mundo de rapazes e moças da periferia de São Paulo. A estrutura do filme é construída a partir da oficina de vídeo que foi ministrada pela Associação Cultural Kinoforum no Jardim Ângela.
20h
Sargento Getúlio
(1983, cor, 85min – suporte DVD)
direção: Hermano Penna (Crato/CE) – elenco: Lima Duarte, Fernando Bezerra, Orlando Vieira, Flávio Porto
Sargento Getúlio é incumbido de transportar um prisioneiro político. No meio do caminho acontece uma reviravolta política e ele recebe ordens para libertar o preso, mas decide continuar até o fim. Baseado na obra de João Ubaldo Ribeiro

dia 22/1 – quinta


16h
33
(2003, cor, 74min – suporte 35mm)
direção: Kiko Goifman (Belo Horizonte/MG)
Kiko Goifman é filho adotivo e decidiu procurar sua mãe biológica. A partir de pistas dadas por detetives, ele parte nessa jornada, documentando o seu trajeto. O título surge a partir de três fatos: Kiko decidiu encontrar a mãe aos 33 anos de idade, sua mãe adotiva nasceu em 1933 e a busca durou 33 dias.

18h
Cronicamente inviável
(1999, cor, 101min – suporte DVD)
direção: Sérgio Bianchi (Ponta Grossa/PR) – elenco: Cecil Thiré, Betty Gofman, Daniel Dantas, Dan Stulbach
O filme narra trechos das histórias de vida de seis personagens e mostra a dificuldade de sobrevivência mental e física em meio ao caos da sociedade brasileira, que atinge todos.
20h
Abry
(2003, cor, 30min – suporte DVD)
direção: Joel Pizzini (Rio de Janeiro) e Paloma Rocha (Rio de Janeiro)
O documentário descreve a trajetória de Lúcia Rocha, mãe do cineasta Glauber Rocha. Aos 84 anos, ela se interna num hospital em São Paulo para fazer exames de coração. Ao receber a notícia sobre o risco que corria, ela diz ao médico: “Então abre!”
500 almas
(2004, cor, 105min – suporte 35mm)
direção: Joel Pizzini (Rio de Janeiro) – elenco: Paulo José, Matheus Nachtergaele, Adair Palácio
Um retrato do universo da tribo Guató, etnia dispersa na região pantaneira. Conhecidos como canoeiros, esses índios vivem em relação constante com a água e em contínuo deslocamento.

dia 23/1 – sexta


16h
A casa de Alice
(2007, cor, 90min – suporte 35mm)
direção: Chico Teixeira (Rio de Janeiro) – elenco: Carla Ribas, Berta Zemel, Zécarlos Machado, Vinicius Zinn
Alice mora na periferia de São Paulo, trabalha como manicure e divide a casa com sua mãe, o marido e três filhos. Depois de vinte anos de casamento, ela reencontra um ex-namorado e isso mudará o rumo de sua vida.
18h
33
(2003, cor, 74min – suporte 35mm)
direção: Kiko Goifman (Belo Horizonte/MG)
Kiko Goifman é filho adotivo e decidiu procurar sua mãe biológica. A partir de pistas dadas por detetives, ele parte nessa jornada, documentando o seu trajeto. O título surge a partir de três fatos: Kiko decidiu encontrar a mãe aos 33 anos de idade, sua mãe adotiva nasceu em 1933 e a busca durou 33 dias.
20h
Bens confiscados
(2005, cor, 109min – suporte 35mm)
direção: Carlos Reichenbach (Porto Alegre/RS) – elenco: Betty Faria, Werner Schünemann, Renan Augusto, Fernanda Carvalho Leite
Um poderoso senador da República, é denunciado publicamente por sua esposa por corrupção, tráfico de influências e bigamia. Quando sua amante suicida, ele manda seqüestrar seu secreto filho e o esconde da imprensa e dos inimigos políticos.

dia 24/1 – sábado


16h
O homem que virou suco
(1979, cor, 97min – suporte DVD)
direção: João Batista de Andrade (Ituiutaba/MG) – elenco: José Dumont, Célia Maracajá, Ruth Escobar, Denoy de Oliveira
Um poeta popular paraibano recém-chegado a São Paulo, onde tenta sobreviver com a venda de suas poesias, é confundido com um operário que mata o patrão e acaba sendo perseguido pela polícia.

18h
O pai
(Brasil, 2004, 10min – suporte 35mm)
direção: Manoel Rangel (Brasília/DF) – elenco: Cristina Cavalcanti, Lui Strassburguer, Isabela Guasco
Homem em crise encontra uma menina com quem estabelece uma relação que mistura realidade e imaginação.
Bodas de papel
(2006, cor, 102min – suporte 35mm)
direção: André Sturm (Porto Alegre/RS) – elenco: Helena Ranaldi, Darío Grandinetti, Walmor Chagas, Cleide Yaconis, Antonio Petrin
Uma história de amor entre um homem e uma mulher que se encontram numa cidade que escapou de ser transformada numa usina hidrelétrica e de desaparecer sob as águas

20h
Cronicamente inviável
(1999, cor, 101min – suporte DVD)
direção: Sérgio Bianchi (Ponta Grossa/PR) – elenco: Cecil Thiré, Betty Gofman, Daniel Dantas, Dan Stulbach
O filme narra trechos das histórias de vida de seis personagens e mostra a dificuldade de sobrevivência mental e física em meio ao caos da sociedade brasileira, que atinge todos.

dia 25/1 – domingo
16h
Jardim Ângela
(2007, cor, 71min – suporte 35mm)
direção: Evaldo Mocarzel (Niterói/RJ)
A visão de mundo de rapazes e moças da periferia de São Paulo. A estrutura do filme é construída a partir da oficina de vídeo que foi ministrada pela Associação Cultural Kinoforum no Jardim Ângela.
18h
Criaturas que nasciam em segredo
(1995, cor, 21min – suporte DVD)
direção: Chico Teixeira (Rio de Janeiro)
Partindo do universo dos bufões, pessoas marcadas desde a Antigüidade pelo estigma de garantir a diversão dos outros, o documentário retrata a vida de cinco anões que moram na cidade de São Paulo.
A casa de Alice
(2007, cor, 90min – suporte 35mm)
direção: Chico Teixeira (Rio de Janeiro) – elenco: Carla Ribas, Berta Zemel, Zécarlos Machado, Vinicius Zinn
Alice mora na periferia de São Paulo, trabalha como manicure e divide a casa com sua mãe, o marido e três filhos. Depois de vinte anos de casamento, ela reencontra um ex-namorado e isso mudará o rumo de sua vida.

20h
Urbânia
(2001, cor, 70min – suporte DVD)
direção: Flávio Frederico (Rio de Janeiro) – elenco: Turíbio Ruiz, Adriano Stuart, Wilson Hintze, Jorge Oliveira Santos
Ficção e documentário no mesmo filme. Durante 24h, dois outsiders redescobrem a cidade de São Paulo a bordo de um carro conversível. A megalópolis se revela a partir de encontros casuais com seus habitantes.
——————————————————————————–

Gibiteca Henfil

Coleção com mais de 10 mil títulos entre álbuns de quadrinhos, gibis, periódicos e livros sobre HQ. Sua programação diversificada, envolvendo oficinas, palestras, exposições, exibição de filmes e jogos, atrai fãs e profissionais da área.

dia 25/1 – domingo

das 11h às 15h
Ficção científica
(Star Trek, ficção científica, ufologia, arquivo X, etc.)
coordenação: Grupo Solar 7.
Exibição de filmes sobre ficção científica seguida de palestras. (14 anos)

 

Rua Vergueiro, nº 1000 – pertinho do metrô Vergueiro
Sala Lima Barreto (110 lugares)
(11)3383-3402/3397-4000
ENTRADA FRANCA – retirar ingresso com 1h de antecedência

É amigo de todo mundo e compra pão sempre na mesma padaria.
Sabe de cór onde ficam todos os produtos no Supermercado.
É atendido pelo mesmo vendedor que até pergunta como está sua família e chama cada um pelo nome.
Vai aos restaurantes, bares, pizzarias e o garçom já chega, falando: O de sempre?

É assim o teu cotidiano?
Mas será que você conhece a história do seu bairro?

uma história para cada bairro

uma história para cada bairro

O Centro Cultural São Paulo exibe filmes sobre 26 bairros paulistanos até o dia 9 de novembro.
É uma grande oportunidade para você ter orgulho da onde mora.

Rua Vergueiro, nº 1000 – pertinho do metrô Vergueiro
Sala Lima Barreto (110 lugares)
(11)3383-3402
ENTRADA FRANCA – retirar ingresso com 1h de antecedência

É bem provável que você já deva ter enjoado de ler posts meus falando sobre exposições fotográficas. Quem vê, pensa que eu só falo disso ou que meus posts são patrocinados pela Kodak.

Para não perder a mania, eu apresento dessa vez a mostra A Cidade e Suas Margens, em exibição no Museu da Casa Brasileira até o dia 26 de novembro. Nela, a artista plástica Elisa Bracher expõe 70 imagens da Favela da Linha, localizada na zona oeste de São Paulo, e de algumas cidades do Nordeste, de onde virão alguns de seus moradores.

A mostra busca refletir sobre as condições improvisadas de habitações na metrópole, que embora precárias e feitas com resíduos e materiais industrializados disponíveis, revelam inventividade expressiva de soluções. Além disso, a mostra traz um olhar incomum sobre as favelas, que normalmente são vistas como redutos de pobreza onde reina a homogeneidade de construções. Trilhando o caminho contrário, Elisa buscou registrar momentos em que a comunidade revela suas singularidades, exprimindo a criatividade de seus moradores nas formas e cores das casas e barracos.

Também estará em exibição um DVD com aproximadamente meia hora de duração, que documenta a visita de Elisa Bracher às famílias dos moradores da Favela da Linha em 16 localidades do Nordeste.

SERVIÇO:

A Cidade e Suas Margens
Onde: Av. Brigadeiro Faria Lima, 2075, Pinheiro, tel: 3032-3727.
Quando: Todos os domingos, das 10:00 às 18:00. Até 16/11.

Já faz tempo que o Tudo Por Nada não comenta sobre algum dos três grandes eventos gratuitos que rolam na cidade de São Paulo: Este Mundo É Meu! E As Sete Sementes…, Festival CCJ Independente e Antídoto. Mas isso não quer dizer que eles já terminaram – muito pelo contrário. Os dois primeiros vão até o dia 31 e o Antídoto até a próxima quinta-feira, dia 23. Dessa vez eu vou falar sobre algumas boas dicas o do Este Mundo e do Antídoto. Sobre o CCJ Independente eu irei falar nos próximos dias. Não perca!

ESTE MUNDO É MEU!

Viva ao verde

O que significam as árvores para as populações urbanas? Como é visto o verde em ambientes urbanos e industrializados? Como os indivíduos e o coletivo das cidades interagem com o ecossistema urbano? Racionalidade, espiritualidade e sensibilização das comunidades urbanas e rurais serão discutidas no Fórum de Reflexões – Áreas Verdes, Comunidades e Conservação. Dia 21/10, das 19:30 às 22:00 no Centro Cultural São Paulo.

A Educação Ambiental têm se colocado como um importante instrumento para a compreensão e a conscientização sobre questões ambientais, no exercício da cidadania e na busca de transformação da realidade socioambiental. O debate do Fórum de Reflexões – Comunicação e Participação Ambiental explicitará princípios e práticas da Educação Ambiental em ambientes diversos como Escolas, Comunidades e Meios de Comunicação, na busca da melhoria da qualidade de vida. Dia 21/10, das 19:30 às 22:00 no Centro Cultural São Paulo.

+ DE ESTE MUNDO

ANTÍDOTO

Viva ao mundo

No dia 21/10, das 17:00 ás 19:00, acontece no Itaú Cultural o debate Facções e Fronteiras Invisíveis. Apesar do tom pejorativo que costuma acompanhar o termo, facção é simplesmente um conjunto de pessoas que pensam e agem de maneira diferente da maioria. Esta mesa discute as relações entre as facções e as fronteiras invisíveis da sociedade, como o preconceito e a intolerância.

Já no debate Produções Culturais, os palestrantes falarão das experiências, dos conceitos, dos problemas e das vitórias envolvidos no desenvolvimento de projetos culturais em países africanos como Burundi, Burkina Faso, República Democrática do Congo e Ruanda. Dia 22/10, das 17:00 às 19:00, no Itaú Cultural.

SERVIÇO:

Itaú Cultural
Av. Paulista, 149, tel: 2168-1777.

Centro Cultural São Paulo
R. Vergueiro, 1000, Paraíso, tel: 3383-3402.

Não, caro leitor, você não leu errado. Sei muito bem que estamos em outubro e que ano é 2037. Apesar de maio ser o mês das noivas, o tema desse post é arte moderna. Os Salões de Maio aconteceram nos anos de 1937, 1938 e 1939 e tinha como objetivo consolidar as pesquisas modernas no país. Resultado do grande evento modernista que foi a Semana de 1922. Idealizados pelo artista e jornalista Quirino da Silva, em parceria com Flávio de Carvalho e Geraldo Ferraz, os Salões de Maio se configuraram como um marco no modernismo brasileiro.

Texto de Graça Aranha exposto do CCSP

É justamente para recuperar a memória de tão tradicional evento, que está aberta ao público até o dia 16 de novembro a exposição Salões de Maio, no Centro Cultural São Paulo. Apesar do modernismo ter lugar cativo na história da arte nacional, este é o único arquivo de um evento modernista de São Paulo que foi conservado com registros de gastos, fichas de inscrição e livros de presença, além de correspondência e publicações, e que será apresentado ao público pela primeira vez. Entre os documentos mostrados estão cartas inéditas de Murilo Mendes, Flávio de Carvalho, Menotti del Picchia, Geraldo Ferraz e Ernesto de Fiori e obras de artistas da Coleção de Arte da Cidade de São Paulo, como Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Alfredo Volpi, Di Cavalcanti, Cândido Portinari e Lasar Segall.

SERVIÇO:

Salões de Maio
Onde: R. Vergueiro, 1000, Paraíso, tel: 3383-3402. Sala Tarsila do Amaral e Gabinete de Papel.
Quando: De terça a sexta-feiras, das 10:00 às 20:00. Sábados e domingos, das 10:00 às 18:00.

Desculpem a minha ansiedade, mas já quero falar da 32º Mostra Internacional de São Paulo, que começa nessa sexta-feira, dia 17 e vai até o dia 30 de outubro.

Pra mim, é o principal evento do ano!

Os ingressos variam de 14 a 18 reais, mas não fique preocupado, achando que o Tudo Por Nada se corrompeu e agora vai divulgar todo tipo de programação cultural.

Continuamos com o nosso ideal e aproveitamos para te avisar que você pode desfrutar da Mostra sem gastar nada.

No vão livre do MASP a partir de segunda, dia 20, sempre às 19h30, ocorrerá uma Retrospectiva da 31º Mostra, trazendo filmes da edição passada.

Em breve faremos posts especiais sobre alguns deles, mas se assim como eu, você não agüenta esperar, confira aqui os filmes que se destacaram e serão exibidos novamente.

Haverá sessões gratuitas da Mostra também nos lugares abaixo:

Retrospectiva 31º Mostra Internacional de Cinema
Vão livre do MASP
(300 lugares)
Av. Paulista, 1578
Tel.(11) 3251-5644
Sessões gratuitas

Vão Livre do Masp

Vão Livre do Masp

Obs: Até o fechamento deste post, nenhuma dessas salas havia recebido a programação, por isso está sujeito a alterações. A informação sobre os filmes, horários e locais foram retirados do site oficial da 32º Mostra Internacional de São Paulo.